MINHA PRIMEIRA EXPERIÊNCIA EM UMA AGÊNCIA DE TRADUÇÃO

Padrão

Após um período longe do blog, voltei para contar sobre a primeira experiência que tive trabalhando em uma agência de tradução.

Conheci a Lionbridge (que, mais que uma agência de tradução, é uma empresa de globalização), quando ainda estava na faculdade e surgiu uma oportunidade de estágio, mas eu morava no Rio de Janeiro (saudades da Cidade Maravilhosa!!) e não tinha como assumir a vaga. Porém, quando me formei na faculdade de Tradução/Interpretação pela Uninove, já estava morando em São Paulo e procurei a Lionbridge novamente (este mês faz exatamente um ano). Para a minha sorte, eles estavam com um projeto muito interessante chamado “Incubadora“, que consistia em dar a oportunidade para um tradutor iniciante trabalhar na agência por seis meses e, então, caso tudo fosse conforme o planejado, poder trabalhar de casa (home office).

Esses sete meses que passei trabalhando na empresa foram fundamentais para meu início na carreira de tradutora. A experiência de todos os colegas com os quais convivi diariamente permitiu que eu pudesse aprender com profissionais de excelente qualidade um pouco mais sobre toda a dinâmica do processo de tradução e sobre tradução em si.

Digo isso, pois toda a equipe é muito comprometida com seu trabalho e todos estão sempre dispostos a ajudar. Deixo aqui meu agradecimento pela paciência e dedicação de todos. Posso dizer que essa experiência trabalhando dentro de uma grande agência de tradução foi fundamental para meu crescimento profissional.

Foi uma oportunidade incrível poder iniciar o trabalho na área numa agência tão renomada e importante no cenário mundial da tradução. Não poderia esperar algo melhor. Trabalhei com contas de empresas de muita expressão na área da Tecnologia e aprendi a utilizar as CAT Tools, o que gera um acúmulo incrível na área da tradução técnica.

Assim, pude tirar por mim mesma a conclusão que nós, iniciantes, sempre ficamos na dúvida: vale a pena trabalhar para uma agência de tradução? A resposta é “SIM“. Vale muito! Se for uma empresa compromissada com a qualidade dos serviços e que, portanto, apostará no seu desenvolvimento profissional, é uma experiência que entendo ser fundamental a todo iniciante da área, e que nos dá uma visão global de como funciona o mercado da tradução, quais profissionais estão envolvidos e qual a importância do nosso trabalho.

Obrigada a todos da Lionbrigde! Aos que ainda fazem parte da equipe e aos que já fizeram enquanto estive por lá:

Adailto, Ana Cláudia, Ana Paula, Ana Rodrigues, Bruna, Carolina, Christiane, Daniel, Denise, Fabiana, Faustro, Filipe, Gabriel, João, Jonathas, Jussara, Karen, Luiz, Magali, Marcelo, Mário, Miriam, Nilton, Paulo, Pedro, Priscila, Renan, Rodrigo, Sávio, Silvia, Tabitha, Tiago e Victor.

Muito sucesso a todos! 😉

PS.: Perdi as fotos que eu tinha, pois meu celular foi roubado, então precisei improvisar… rs