Comitê de Mentoria: Adriana Sobota, Caroline Alberoni, Mônica Reis e William Cassemiro – VII Congresso da ABRATES

Padrão

CM01.jpg

Um pouco antes do Congresso, fiquei sabendo sobre o Programa de Mentoria e me interessei bastante. Assim, quando vi que teria uma mesa sobre o assunto, quis logo participar para conhecer um pouco melhor o funcionamento do programa.

Ele surgiu a partir das dúvidas recorrentes dos iniciantes e foi baseado em um programa da ATA (American Translators Association). É um trabalho totalmente voluntário e que precisa seguir algumas normas para que funcione conforme o esperado. Vejamos como proceder se você quiser fazer parte.

Para ser mentor ou mentorado é preciso ser associado da ABRATES e estar em dia com suas obrigações. O mentor precisa ter no mínimo cinco anos de experiência e o mentorado, menos de dois ou estar cursando o último ano dos cursos de Tradução/Interpretação ou Letras.

Havendo interesse, é preciso enviar um email para mentoria.abrates@gmail.com. Atualmente, 20 pares estão finalizando o primeiro semestre deste programa. Em outubro ou novembro novas vagas devem estar disponíveis, mas podem mandar e-mail hoje mesmo, pois já há uma lista de espera.

A formação dos pares é feita em conjunto pela análise das fichas. Os coordenadores tentam encontrar uma compatibilidade entre a dupla para que se possa tirar o maior proveito possível do programa. Então, a ficha do mentorado é enviada para avaliação do mentor e, caso ele dê seu aval, os dois assinam um acordo e um coordenador será designado para acompanhar as atividades do par e garantir que tudo esteja correndo conforme o esperado.

A duração do programa é de seis meses e o mentor e o mentorado devem se reunir no mínimo duas horas por mês. O tempo de cada reunião será determinada pelo par, podendo variar de acordo com a disponibilidade de ambos. Essas reuniões podem ser feitas pessoalmente, por meio de aplicativos de mensagem, por programas de áudio/vídeo, por telefone, enfim, o importante é as horas sejam cumpridas e que um relatório sobre cada reunião seja enviado para o coordenador em até 72 horas após seu término. Há um programa básico a seguir, porém, podem ser feitos acréscimos dependendo do interesse do mentorado e disponibilidade do mentor para atendê-lo.

Se você quiser ser mentor, lembre-se de como foi seu início de carreira, para tentar antever as necessidades de seu mentorado e enxergar além dos questionamentos que ele faz, pois nem sempre ele saberá o que perguntar. Pense que você está contribuindo para melhorar o mercado da tradução e da interpretação, nivelando-o por cima. O importante é concorrer com pessoas competentes e não com quem joga o preço lá embaixo.

Para demonstrar como o programa vem funcionando, um par foi contar sua experiência: a mentorada Sabrina e seu mentor, Felipe. Ele confirmou que nem sempre o mentorado sabe expor sua dúvida e, por isso, o mentor precisa estar atento. Disse que está aprendendo muito com a Sabrina. Depois que iniciou o programa, ele revisou seu currículo, reorganizou-se, reciclou-se, enfim, a mentoria foi muito benéfica para ele também.

A Sabrina disse que também está aprendendo bastante com o programa e ressaltou que o Felipe a encoraja e sempre deixa uma tarefa para a próxima reunião, como preparar seu currículo ou fazer alguma leitura importante. Ela está gostando de participar e recomenda o Programa de Mentoria.

Fiquei ainda mais animada depois de ouvir o Comitê, o par que estava na mesa e os mentores da plateia, que pareceram muito dedicados à atividade. Quero logo participar, pois deve ser um processo de aprendizado incrível, uma oportunidade única que a ABRATES está proporcionando para nós. Essa interação é muito rica, pois permite que os iniciantes aprendam alguns aspectos do mercado da tradução e da interpretação com os mestres no assunto e que estes reflitam sobre sua atividade profissional, podendo encontrar formas de melhorá-la ainda mais.

Não vejo a hora de começar! E você? Já fez sua inscrição? 😀

CM02.jpg

Anúncios

4 comentários sobre “Comitê de Mentoria: Adriana Sobota, Caroline Alberoni, Mônica Reis e William Cassemiro – VII Congresso da ABRATES

  1. Olá, Juliana!

    Agradeço, em nome de todo o Comitê, seu relato sobre nossa apresentação.

    Temos muito orgulho do programa que criamos e ficamos muito felizes quando vemos que não só os mentorados como também os mentores estão se beneficiando bastante com ele. Ficamos muito emocionados com o retorno que estamos tendo dos mentores/mentorados atuais, da comunidade em geral e de membros de programas de associações de outros países. Sim, programas de mentoria de outros países estão nos buscando para obter orientações, o que é muito gratificante para nós.

    Parabéns pelo ótimo trabalho de cobertura das palestras do #abrates16!

    Sucesso!

    Abraço,

    Caroline Alberoni

    Curtir

Deixe um recado no diário :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s