Ligia Sobral Fragano: A versão de filmes brasileiros – VII Congresso da ABRATES

Padrão

LBM01.jpg

A Lígia e seu sócio-pai, Claudio Duilio Fragano, têm uma empresa de legendagem, cujo nome é tão bonitinho quanto o mascote: a Little Brown Mouse. Trabalhando juntos há dez anos, já traduziram (e verteram) dezenas de filmes. O site tem um conteúdo muito legal, contando diversas experiências de legendagem.

Na palestra, Lígia contou que a legendagem não lida só com a língua, mas também com aspectos culturais, como a parte histórica, o clima, o estilo de vida, enfim, elementos que ficam bastante evidentes em um filme, por meio das imagens.

Como a legendagem envolve a questão da oralidade, precisamos estar atentos a certos aspectos do texto, como é o caso das inversões, que podem facilitar a leitura. Essa e diversas outras dicas, ela disse ter aprendido com os diretores dos filmes, pois eles têm uma visão própria que nos ajuda em certos momentos.

Lígia falou ainda sobre certas ferramentas que utiliza no processo de versão, como o Thesaurus, corpus linguístico, dicionário de colocações, fóruns (às vezes precisamos não de um dicionário, mas de uma percepção. Então, pesquisar em fóruns é bastante útil nesses casos) e fontes de validação (se a frase que você quer usar aparecer no The New York Times e no The Guardian, por exemplo, é sinal de que está boa).

Outra dica é fazer uma busca, ao final do trabalho, por erros frequentes que você comete. Se você sabe que tem mania de trocar muito this por these ou tu por (no espanhol), procure esses termos e verifique se estão corretos. Você conseguirá corrigir muita coisa que talvez passasse batido, ainda mais se estiver com prazo curto.

É preciso tomar cuidado também para não fazer uma tradução muito literal por influência da língua materna. Por isso é imprescindível revisar o texto e verificar se ele soa natural. Para isso, a ajuda de um nativo do idioma é muito bem-vinda, pois às vezes temos até domínio do idioma em seus aspectos gramaticais, mas uma limitação no seu aspecto cultural.

Por fim, Lígia disse que tudo o que você viveu, sua formação linguística e suas experiências culturais é que formam sua persona versionista. E precisamos tomar muito cuidado ao verter um filme brasileiro para outra língua, pois estamos levando a imagem de nosso país e cultura para fora.

Eeeee palestra boa! Olha quanta coisa, apesar de ser apenas um resumo! rs.

Curtam a página da Little Brown Mouse no Facebook. Adorei esse ratinho simpático! 😉

LBM02

Anúncios

Um comentário sobre “Ligia Sobral Fragano: A versão de filmes brasileiros – VII Congresso da ABRATES

Deixe um recado no diário :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s